Trabalho e Finanças

O fim da quarentena: Você está pronto para voltar ao trabalho?

Leitura recomendada sobre o tema:

Estamos vivendo tempos difíceis. Tempos de reclusão, de distanciamento social, de diminuição de jornada de trabalho, de teletrabalho, e, até mesmo, de falta de trabalho. É fato: as dificuldades causadas pela quarentena atingiram todos nós. Com maior ou menor intensidade, todos sentimos os efeitos dessa “paralisação”.

Porém, as últimas notícias mostram que apesar de o novo coronavírus (Covid-19) ainda ser uma ameaça real, cuja cura ainda é desconhecida, o fim da quarentena está próximo. Na verdade, muitas cidades já estão, gradativamente, reabrindo o comércio local e permitindo o retorno das atividades cotidianas de trabalho.

A questão é: você está pronto para voltar ao trabalho?

Não tenha pressa. Pense bem e reflita antes de me dar uma resposta.

Enquanto você medita, gostaria de lembrá-lo de alguns pontos importantes com relação ao trabalho:

1) Lembre-se de que o trabalho é um presente de Deus, e não uma consequência do pecado.

Quando Deus criou o homem à sua imagem e semelhança, Ele o abençoou e lhe deu a responsabilidade e o privilégio de dominar “sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre o gado, e sobre toda a terra, e sobre todo o réptil que se move sobre a terra” (Gênesis 1:26-27). E, como presente, deu-nos do fruto da terra: “E disse Deus: Eis que vos tenho dado toda a erva que dê semente, que está sobre a face de toda a terra; e toda a árvore, em que há fruto que dê semente, ser-vos-á para mantimento”.

Além disso, ao plantar um jardim no Éden (Gênesis 2:8-15), Deus pôs ali o homem que tinha formado, para cultivá-lo e tomar conta dele. Preste atenção no versículo 15:

“E o SENHOR Deus tomou o homem e o colocou no jardim do Éden, para que o homem o cultivasse e guardasse.” (Gênesis 2.15)

Fomos criados para trabalhar, e a quarentena mostrou essa realidade. Deus nos dá do fruto da terra por meio do trabalho. A benção de termos o que comer chega até nós por intermédio do trabalho. O trabalho não é consequência do pecado. O homem foi chamado ao trabalho antes da queda, e o próprio paraíso é lugar de trabalho.

2) Lembre-se de que o trabalho deve servir aos outros e glorificar a Deus.

Nosso trabalho não se resume a nós. Cristãos verdadeiros servem ao próximo e adoram a Deus através do seu trabalho.

Essa verdade muda nossos objetivos e nossa motivação. Pense em como era sua rotina de trabalho antes da quarentena. Talvez você fosse uma pessoa extremamente ocupada, com perspectivas egoístas, que trabalhava duro – dia e noite – para obter o máximo possível de lucro para si mesmo. Talvez você imaginasse que apenas os melhores empregos, os cargos mais bem pagos, fossem os mais dignos, e por isso toda sua dedicação era voltada a obter para si uma posição melhor na escala social.

Porém, com o isolamento, Deus nos relembra de que não foi para isso que Ele nos presenteou com o trabalho. Com a quarentena, Ele nos mostrou que não existe trabalho melhor ou pior, mais ou menos digno. Talvez você nunca tenha dado tanto valor ao trabalho doméstico – como um simples lavar de pratos – quanto nesses dias. Deus nos presenteou com o trabalho, seja ele simples ou não, para que pudéssemos abençoar uns aos outros, e para adorá-lo.

Pedro nos ensina isso explicando que “Deus concedeu um dom a cada um, e vocês devem usá-lo para servir uns aos outros, fazendo bom uso da múltipla e variada graça divina. Você tem o dom de falar? Então faça-o de acordo com as palavras de Deus. Tem o dom de ajudar? Faça-o com a força que Deus lhe dá. Assim, tudo que você realizar trará glória a Deus por meio de Jesus Cristo. A ele sejam a glória e o poder para todo o sempre! Amém.” (1 Pedro 4:10,11).

Paulo, de modo similar, ensina que “Em tudo que fizerem, trabalhem de bom ânimo, como se fosse para o Senhor, e não para os homens. Lembrem-se de que o Senhor lhes dará uma herança como recompensa e de que o Senhor a quem servem é Cristo.” (Colossenses 3:23,24).

Como cristãos somos chamados a trabalhar para a honra e glória de Deus. Não pense que o trabalho que glorifica a Deus é somente aquele que é feito pelos clérigos (pastores e padres), ou por missionários. A dona de casa, o comerciante, o pedreiro, o garçom, o sapateiro também glorificam a Deus com seu trabalho.

Sebastian Traeger e Greg Gilbert no livro O Evangelho no Trabalho dizem: “Nós precisamos ser lembrados regularmente sobre como aplicar o evangelho em nosso trabalho”.

Martinho Lutero disse certa vez que “quando uma empregada cozinha e faz outros serviços de casa, porque está ali a ordem de Deus, mesmo tão pequeno trabalho deve ser louvado como serviço a Deus superando em muito a santidade e o ascetismo de todos os monges e freiras”, em outro momento ele afirmou que “o fazendeiro, removendo esterco, e a criada, tirando leite da vaca, agradam a Deus na mesma intensidade que o pastor que prega ou ora, se todos estiverem fazendo seu trabalho fielmente”.

3) Lembre-se da importância do descanso e da família.

Apesar de nos mostrar a importância do trabalho, esse período de isolamento social nos relembra, também, o significado do descanso, do tempo com a família, e do tempo com Deus.

Qual foi a última vez, antes da quarentena, que você passou tanto tempo com sua família? Antes da pandemia, quantas vezes você tirava um tempo para estar a sós com Deus, em oração e leitura da sua Palavra. Ou pior, quando foi a última vez, antes dessa crise, que você realmente buscou a Deus?

Com a proximidade do fim da quarentena, e do nosso retorno aos trabalhos diários, talvez você seja tentado a acelerar, a trabalhar mais, a se esforçar mais e a correr mais do que nunca para “recuperar” aquilo que deixou de produzir durante a quarentena.

Não caia nessa armadilha. Não perca de vista o valor sagrado do descanso. Lembre-se, o dia de descanso foi instituído por Deus e não pelo homem (Gênesis 2:2-3; Êxodo 20:11). Deus fez isso porque precisamos de uma parada semanal para repor as energias, para estar com a família e, sobretudo, para adorá-lo.

Em Eclesiastes 4.7-8, o Pregador fala sobre um homem solitário, que não tem filhos nem irmãos, mas que não cessa de trabalhar e que nunca pergunta: “Para quem estou trabalhando, se não aproveito as coisas boas da vida?”. E o sábio conclui que isso também é vaidade.

O Pastor Vilson Scholz, falando sobre o tema, destaca que “o propósito maior da humanidade não é trabalhar sem cessar, mas desfrutar da companhia de Deus. Descansar é ter um tempo especial, cada semana, para renovação física, mental, emocional, mas principalmente espiritual. Descanso é mais do que parar de trabalhar; é participar do descanso de Deus, é ter tempo para contemplar as obras de Deus, incluindo a obra da salvação. Descansar de verdade é receber o descanso que Jesus oferece (Mateus 11.28-29).”

Não permita que o fim da quarentena te faça esquecer aquilo que Deus nos trouxe a memória nesse período, qual seja: que o trabalho é um presente de Deus; que todo trabalho tem um propósito divino; que todo trabalhador precisa de descanso.

Com essas três lembranças em mente tenho certeza de que você estará pronto para voltar ao trabalho após a quarentena.

Deixe uma resposta